ObCig Fact Sheets

ObCig Fact Sheets 2

ObCig Fact Sheets 2

Equipa Permanente

 

 

Maria José Casa-Nova

Coordenadora do Observatório das Comunidades Ciganas, Professora do Instituto de Educação, Universidade do Minho, Doutorada em Antropologia Social (Universidade de Granada)

mjcasanova@ie.uminho.pt

 

 

 

Inês Aydin

Investigadora do Observatório das Comunidades Ciganas, Doutorada em Sociologia (École des Hautes Études en Sciences Sociales, Paris)

ines.aydin@acm.gov.pt

 

 

 

Liliana Moreira

Investigadora do Observatório das Comunidades Ciganas, Doutoranda em Sociologia (Universidade do Porto)

liliana.moreira@acm.gov.pt

 

 


Prémio OBCIG Pessoa de Mérito 2021

2.ª Edição do Prémio OBCIG Pessoa de Mérito

Atribuição do Prémio a Fernando Moital, em 29 de novembro de 2021, no Seminário Internacional “Educação de Adultos e Comunidades Ciganas: políticas e processos”, organizado pelo ObCig, em formato digital. As candidaturas decorreram de 14 de maio a 31 de julho de 2021, em conformidade com o Regulamento, o Despacho de Prorrogação do Prazo e a Declaração de Consentimento.


Seleção ObCig MJCN

 

CNN Portugal (2022, 17 de janeiro). "Que fatores contribuem para o abandono escolar na comunidade cigana?" [Programa de televisão].

 

Pereira, A. C. (2021, 29 de agosto). "'E porque não empregar pessoas ciganas? Não precisam de condições materiais de existência'" [Versão impressa]. Público.

 

Oliveira, L. (2021, 26 de maio). "Construtora DST atribui 21 bolsas de estudo a jovens de etnia cigana" [Versão eletrónica]. RUM - Rádio Universitária do Minho

 

O Minho (2021, 26 de maio). "Construtora de Braga premiada por empregar minorias e refugiados com contrato assinado" [Versão eletrónica]. O Minho.

 

Lusa (2021, 15 de abril). "Observatório das Comunidades Ciganas defende 'Educação Intercultural'" [Versão eletrónica]. Notícias ao Minuto.

 

Peixoto, M. e Esteves, M. (2021, 27 de janeiro). "Ventura teve mais votos nos concelhos onde há mais ciganos?" [Versão eletrónica]. Jornal de Negócios. 

 

Rocha, S. M. (2021, 8 de janeiro). "Quem é a mulher cigana e porque vai muito além de um estereótipo" [Programa de rádio]. TSF.

 

Pereira, A. C. (2020, 12 de julho). "Há 25 mil ciganos nas escolas e os resultados estão a melhorar" [Versão eletrónica]. Público. 

 

Pereira, A. C. (2020, 12 de julho). “Quem pediu ferramentas pedagógicas para criar uma nova relação entre escolas e ciganos?” [Versão eletrónica]. Público

 

Soares, Tiago (2020, 28 de junho). “Ciganos ‘traiçoeiros’, jeovás ‘fanáticos’: o preconceito nas decisões judiciais" [Versão eletrónica]. Expresso.

 

Barata, Alexandra (2020, 27 de junho). "Lamento mas o lugar já está ocupado" [Versão eletrónica]. JN.

 

Grande Reportagem Antena 1 (2020, 24 de junho). "Este país ainda não é para ciganos" [Programa de rádio]. Antena 1.

 

Christiana Martins (2020, 20 de junho). “INE prepara inquérito sobre origem etnicorracial dos portugueses” [Versão eletrónica]. Expresso.

 

RUM - Rádio Universitária do Minho (2020, 4 de junho). "Entrevista com Maria José Casa-Nova" [Podcast do Programa de rádio].

 

Pereira, A. C. (2020, 25 de março). “Como estão as comunidades ciganas a enfrentar a epidemia em acampamentos sem água corrente?” [Versão eletrónica]. Público

 

Garcia, C. (2020, 31 de janeiro). “Maria José Casa-Nova: ‘Temos jovens no ensino superior que não dizem que são ciganos, para não serem estigmatizados’” [Versão eletrónica]. Jornal de Leiria.

 

Silva, R. S. (2020, 30 de janeiro). “Racismo e xenofobia” [Versão eletrónica]. Jornal de Leiria

 

Pereira, A. C. (2020, 27 de janeiro). “Portugal instado a enfrentar racismo contra os ciganos” [Versão eletrónica]. Público

 

Viana, M. (2019, 20 de novembro). “Projecto ‘RISE’ permitiu reduzir taxa de abandono escolar da comunidade cigana” [Versão eletrónica]. Correio do Minho

 

Oliveira, L. (2019, 19 de novembro). “RISE dá origem a guia de boas práticas para sucesso escolar de ciganos” [Versão eletrónica]. RUM - Rádio Universitária do Minho

 

Lusa (2019, 19 de novembro). “Projecto de “inclusão emancipada” diminui absentismo escolar entre crianças ciganas” [Versão eletrónica]. Público

 

Lusa (2019, 19 de novembro). “Colocar o ‘aluno no centro das atenções’. Projeto diminui insucesso escolar entre crianças ciganas” [Versão eletrónica]. TSF Rádio Notícias

 

Porto Canal (2019, 14 de novembro). “Pontos nos ii - A educação escolar é uma dimensão fundamental da integração da população cigana” [Programa de televisão].

 

Porto Canal (2019, 13 de novembro). “Pontos nos ii - etnia cigana” [Programa de televisão]. 

 

Barros, J.P. (2019, 5 de agosto). “Portugal precisa de mais quotas? O debate sobre as desigualdades ainda vai no adro” [Versão eletrónica]. Rádio Renascença

 

Universidade Lusófona do Porto (2019, 06 de junho). “Ciberjornalismo - Onde está a voz das comunidades ciganas nos média?” [Sítio institucional]. 

 

(2019, 15 de maio). “Projecto SIM na RCB XXX” [Programa de rádio]. 

 

(2019, 07 de abril). “Ciganos temem ‘cadastro étnico’” [Versão eletrónica]. Expresso

 

(2019, 14 de março). “Este país ainda há de ser para ciganos” [Versão eletrónica]. Notícias Magazine

 

(2018, 5 de setembro). “Tribunal de Portalegre autoriza menina cigana a abandonar a escola” [Versão eletrónica]. Sol

 

RTP (2018, 16 de abril). “3 às 10. Entrevista a Maria José Casa-Nova (min. 19-32)” [Programa de televisão]. 

 

Barreto, D. (2018, 09 de abril). “Há cada vez mais crianças ciganas na escola” [Versão eletrónica]. Sábado

 

RTP (2018, 08 de abril). “Maria José Casa-Nova. Entrevista da jornalista Rosa Azevedo à coordenadora do observatório das comunidades ciganas” [Reportagem / Entrevista Manhã 1]. 

 

(2018, 23 de março). “Alteridade: ‘e se o outro não estivesse aí’?” [Versão eletrónica]. NÓS - Jornal Online da UMinho

 

Moreira, L. (2018, 14 de março). “Professora da UMinho coordena Observatório das Comunidades Ciganas” [Versão eletrónica]. O Minho

 

Pereira, A. C. (2018, 4 de março). “Até nas escolas ‘há uma tendência para segregar’ os ciganos” [Versão eletrónica]. Público

 

SIC Notícias. (2018, 23 de fevereiro). “Uma escola básica em Famalicão tem apenas alunos de etnia cigana” [Programa de televisão].

 

Pereira, A. C. (2018, 16 de fevereiro). “Inspecção da Educação averigua escola que só tem crianças de etnia cigana” [Versão eletrónica]. Público

 

Pereira, A. C. (2018, 30 de janeiro). “Maria José Casa-Nova é nova coordenadora do Observatório” [Versão eletrónica]. Público.


Sobre o ObCig

O Governo de Portugal, consciente da necessidade de promover a integração das comunidades ciganas, aprovou, em 2013, a Estratégia Nacional para a Integração das Comunidades Ciganas (ENICC), Resolução do Conselho de Ministros n.º 25/2013 de 27 de Março.

A Estratégia surge, neste contexto, como uma plataforma para o desenvolvimento de uma intervenção alargada e articulada, onde os vários ministérios, municípios, organizações da sociedade civil, academia e comunidades ciganas, entre outros, contribuem ativamente para a concretização dos objetivos traçados.

Face à escassez de estudos e informação relativas às comunidades ciganas, por forma a definir um diagnóstico robusto, a avaliar as dinâmicas e os resultados decorrentes da Estratégia, mas também a produzir um conhecimento aprofundado da temática, a ENICC prevê, no seu Eixo Transversal, Prioridade 2, a criação do “Observatório das Comunidades Ciganas” para promover a realização e edição de estudos sobre as comunidades ciganas.

Assim, o Observatório das Comunidades Ciganas (ObCig), contribui não só para a concretização de algumas das medidas previstas na Estratégia, mas também para a conceção, implementação e avaliação das políticas públicas neste domínio, apresentando-se como um motor de criação de redes de cooperação académicas, científicas e institucionais, bem como do diálogo entre a academia e os decisores políticos.

 
a) Auxiliar na conceção de políticas públicas para a população portuguesa cigana ou residente em Portugal.

b) Promover e realizar investigação em áreas estratégicas visando o conhecimento e a integração da população cigana numa perspetiva de igualdade.

c) Contribuir para a desconstrução de estereótipos, principalmente através da participação em conferências, seminários, workshops e ações de formação.

d) Promover um diálogo construtivo entre a academia e os decisores políticos com vista a potenciar a igualdade de oportunidades e os Direitos Humanos tendo como cerne a população cigana.

e) Dar continuidade à Coleção Olhares, publicando, em edição impressa, investigação científica já realizada (resultados de projetos de investigação, dissertações de mestrado ou teses de doutoramento), com particular interesse para o conhecimento das comunidades ciganas e a decisão política sustentada.

f) Sem prejuízo da criação de outras coleções, criar a Coleção Estudos OBCIG, em edição impressa, com o objetivo de promover a produção de investigação científica temática nas áreas da Estratégia ou afins.

g) Disponibilizar, nomeadamente no sítio do OBCIG, investigação realizada e não publicada, como dissertações de mestrado e teses de doutoramento.

h) Promover a edição de brochuras que contribuam para a desconstrução, cientificamente sustentada, de estereótipos.

i) Promover conferências nacionais e internacionais, nomeadamente nos vários eixos da Estratégia Nacional para a integração das comunidades ciganas (ENICC).

j) Estabelecer uma rede de parcerias com Centros de Investigação nacionais e internacionais.

k) Participar em projetos de investigação internacionais que visem aprofundar conhecimento existente ou produzir novo conhecimento sobre a população cigana numa perspetiva comparada.

l) Participar em redes académicas de promoção e divulgação científicas e de políticas sociais.

m) Criar uma rede internacional de parcerias com organizações não governamentais que trabalhem com população cigana e, globalmente, com problemáticas relativas a Direitos Humanos.

n) Criar uma Newsletter de caráter científico e informativo.

o) Participar em congressos, conferências e seminários nacionais e internacionais, divulgando a atividade científica do OBCIG e as políticas públicas para a integração da população cigana.

p) Participar em reuniões internacionais de relevância face aos objetivos do OBCIG e, globalmente, do ACM.


Regulamento do ObCig

 

Artigo 1.º

Missão

O Observatório das comunidades ciganas (OBCIG) é uma unidade informal autónoma no âmbito do Alto Comissariado para as Migrações (ACM) e tem como missão o estudo e o acompanhamento estratégico e científico da população cigana em Portugal e o apoio ao ACM, nomeadamente no que diz respeito à produção de recomendações para a conceção de políticas públicas.

 

Artigo 2.º

Atribuições

A missão do OBCIG cumpre-se, designadamente, através das seguintes atribuições:

 

a) Auxiliar na produção de recomendações para a conceção de políticas públicas para a população portuguesa cigana ou residente em Portugal.

 

b) Promover e realizar investigação em áreas estratégicas visando o conhecimento e a integração da população cigana numa perspetiva de igualdade.

 

c) Contribuir para a desconstrução de estereótipos, principalmente através da participação em conferências, seminários, workshops e ações de formação.

 

d) Promover um diálogo construtivo entre a academia e os decisores políticos com vista a potenciar a igualdade de oportunidades e os Direitos Humanos tendo como cerne a população cigana.

 

e) Dar continuidade à Coleção Olhares, publicando, em edição impressa, investigação científica já realizada (resultados de projetos de investigação, dissertações de mestrado ou teses de doutoramento), com particular interesse para o conhecimento das comunidades ciganas e a decisão política sustentada.

 

f) Sem prejuízo da criação de outras coleções, criar a Coleção Estudos OBCIG, em edição impressa, com o objetivo de promover a produção de investigação científica temática nas áreas da Estratégia ou afins.

 

g) Disponibilizar, nomeadamente no sítio do OBCIG, investigação realizada e não publicada, como dissertações de mestrado e teses de doutoramento.

 

h) Promover a edição de brochuras que contribuam para a desconstrução, cientificamente sustentada, de estereótipos.

 

i) Promover conferências nacionais e internacionais, nomeadamente nos vários eixos da Estratégia Nacional para a integração das comunidades ciganas (ENICC).

 

j) Estabelecer uma rede de parcerias com Centros de Investigação nacionais e internacionais.

 

k) Participar em projetos de investigação internacionais que visem aprofundar conhecimento existente ou produzir novo conhecimento sobre a população cigana numa perspetiva comparada.

 

l) Participar em redes académicas de promoção e divulgação científicas e de políticas sociais.

 

m) Criar uma rede internacional de parcerias com organizações não governamentais que trabalhem com população cigana e, globalmente, com problemáticas relativas a Direitos Humanos.

 

n) Criar uma Newsletter de caráter científico e informativo.

 

o) Participar em congressos, conferências e seminários nacionais e internacionais, divulgando a atividade científica do OBCIG e as políticas públicas para a integração da população cigana.

 

p) Participar em reuniões internacionais de relevância face aos objetivos do OBCIG e, globalmente, do ACM.

 

 

Artigo 3.º

Estrutura

1. O OBCIG é dirigido por um/a Coordenador/a, com um perfil preferencialmente académico, doutorado/a ou com experiência profissional relevante na área de estudos das comunidades ciganas.

 

2. O/A Coordenador/a é designado/a por despacho do Alto-Comissário por um período de um ano, sucessivamente renovável por idênticos períodos.

 

3. O/A Coordenador/a do OBCIG desempenha as suas funções com autonomia científica, sem prejuízo de articulação com o ACM em todas as decisões estratégicas necessárias a uma articulação em consonância com os princípios, valores e políticas do ACM.

 

4. O/A Coordenador/a do OBCIG é auxiliado na sua missão por um número não inferior a dois técnicos operacionais, podendo recorrer, para o exercício das suas funções, aos demais departamentos do ACM, nomeadamente ao Núcleo de Apoio às Comunidades Ciganas (GACI), bem como a colaboradores/as externos.

 

Artigo 4.º

Orçamento

1. O OBCIG possui um orçamento próprio, integrado no orçamento do ACM.

 

2. A gestão orçamental do OBCIG pertence ao ACM.

 

 

Artigo 5.º

Plano de atividades e Relatório

1. A missão e atribuições do OBCIG concretizam-se no plano de atividades, a apresentar anualmente pelo/a Coordenador/a do OBCIG ao Alto-Comissário, sendo por este aprovado.

 

2. O plano de atividades poderá ser objeto de alterações sempre que se considerar necessário, ficando as mesmas sujeitas à aprovação do/a Coordenador/a do OBCIG e homologadas pelo Alto-Comissário.

 

3. A concretização do plano de atividades será plasmada em relatório anual elaborado pelo/a Coordenador/a, a aprovar pelo Alto-Comissário.

 

 

Artigo 6.º

(entrada em vigor)

O presente regulamento entra em vigor na data da sua homologação.

 

 


Prémio OBCIG Empresas Integradoras 2020

2.ª Edição do Prémio OBCIG Empresas Integradoras 

Atribuição do Prémio ao dst group, em 26 de novembro de 2020, no Seminário Internacional “Desafios Digitais no Ensino Superior”, organizado pelo ObCig, em formato digital, com a respetiva entrega em 26 de maio de 2021, numa cerimónia realizada nas instalações da empresa. As candidaturas decorreram de 1 de junho a 17 de julho de 2020, em conformidade com o Regulamento.

Crédito Fotográfico: Paulo Jorge Magalhães/O Minho


Intro ObCig Fact Sheets

ObCig Fact Sheets é uma publicação de textos em que são analisadas sumariamente temáticas sobre as comunidades ciganas ou com estas relacionadas. O objetivo é convidar investigadores/as que trabalhem na área das comunidades ciganas para a realização destas Fact Sheets, tendo como fim divulgar publicamente, em tempo útil, alguns dos principais resultados de trabalhos recentes realizados sobre e com estas comunidades.

 

Coordenação:  Maria José Casa-Nova

Periodicidade:  Semestral

ISSN:  2795-4528 (online)


Intro ObCig Fact Sheets

ObCig Fact Sheets é uma publicação de textos em que são analisadas sumariamente temáticas sobre as comunidades ciganas ou com estas relacionadas. O objetivo é convidar investigadores/as que trabalhem na área das comunidades ciganas para a realização destas Fact Sheets, tendo como fim divulgar publicamente, em tempo útil, alguns dos principais resultados de trabalhos recentes realizados sobre e com estas comunidades.


“Direitos Humanos pela voz das crianças” Newsletter ObCig de Dezembro de 2021

Imagem em Destaque
“Direitos Humanos pela voz das crianças” Newsletter ObCig de Dezembro de 2021
O Observatório das Comunidades Ciganas (ObCig) convida-o/a a conhecer o novo número da Newsletter OBCIG (dezembro de 2021) dedicado ao tema “Direitos Humanos pela voz das crianças”. A Newsletter encontra-se disponível aqui

Newsletter

Estudos e Publicações

ObCig Fact Sheets

ObCig Fact Sheets é uma publicação de textos em que são analisadas sumariamente temáticas sobre as comunidades ciganas ou com estas relacionadas. O objetivo é convidar investigadores/as que trabalhem na área das comunidades ciganas para a realização destas Fact Sheets, tendo como fim divulgar publicamente, em tempo útil, alguns dos principais resultados de trabalhos recentes realizados sobre e com estas comunidades.


Seminário Internacional "Educação de Adultos e Comunidades Ciganas: políticas e processos"

29 nov 2021

 

Seminário Internacional "Educação de Adultos e Comunidades Ciganas: políticas e processos"

O Seminário Internacional promovido pelo Observatório das Comunidades Ciganas realizar-se-á em formato online, no dia 29 de novembro de 2021, entre as 10h e as 17h.

A iniciativa, para além de um painel sobre contextos e práticas alusivos à temática do Seminário, incluirá uma conferência de abertura proferida pelo Prof. Ramon Flecha (Univ. de Barcelona), um painel de conferências proferidas pelo Prof. Licínio Lima (Univ. do Minho) e pelo Prof. Luís Capucha (ISCTE), e a entrega do “Prémio ObCig Pessoa de Mérito”. Conta ainda com a presença da Secretária de Estado para a Integração e as Migrações, Cláudia Pereira, de Dirigentes de Associações Ciganas, Susana Silveira e Bruno Gonçalves, e de uma Representante da ANQEP, Alexandra Teixeira.

Consulte o cartaz e o programa e faça a sua inscrição até às 17h do dia 26 de novembro, através do seguinte formulário: https://forms.gle/5m9V3JrNuoJi9WEJA

A ligação para aceder ao Seminário Internacional será enviada por email pelas 18h do dia 26 de novembro de 2021.

 

 

 

 

 

Formato online

Contactos e Ligações Úteis

Conversas com... Maria Gil e Nuno Dias

28 out 2021

Conversas com...

 

O Observatório das Comunidades Ciganas (ObCig) organiza a quinta sessão de "Conversas com" no dia 28 de outubro de 2021, das 10h30 às 12h30. Esta sessão será subordinada ao tema "A Participação Político-Cívica de Pessoas Ciganas" e contará com a abertura pela Alta-comissária para as Migrações, Sónia Pereira, a presença da Ativista Maria Gil e do Sociólogo Nuno Dias, e a moderação de Liliana Moreira.

Inscrições até às 17 horas do dia 27 de outubro, através do formulário:

https://forms.gle/nu8Y5RYb5mVQ2Buu7

A ligação para aceder à sessão será enviada por email pelas 17h30 do dia 27 de outubro de 2021.

Consulte o cartaz aqui.

 

 

 

 

 

Formato online

"A Participação Político-Cívica de Pessoas Ciganas" Newsletter OBCIG de outubro de 2021

Imagem em Destaque
"A Participação Político-Cívica de Pessoas Ciganas" Newsletter OBCIG de outubro de 2021

O Observatório das Comunidades Ciganas (ObCig) convida-o/a a conhecer o novo número da Newsletter OBCIG (outubro de 2021) dedicado ao tema “A Participação Político-Cívica de Pessoas Ciganas”. Este número inclui também um artigo do Sr. Secretário de Estado Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Dr. Carlos Miguel. Newsletter disponível aqui.


Conversas com... Maria José Casa-Nova e Bruno Gonçalves

29 jul 2021

Conversas com...


O Observatório das Comunidades Ciganas (ObCig) organiza mais uma "Conversas com" no dia 29 de julho de 2021, entre as 10h30 e as 12h30. Esta conversa será dedicada ao tema "Experiências de sucesso educativo de crianças ciganas: o Projeto RISE" e contará com a abertura pela Secretária de Estado para a Integração e as Migrações, Cláudia Pereira, a presença de Maria José Casa-Nova, Coordenadora da Equipa Portuguesa do Projeto RISE, e de Bruno Gonçalves, Dirigente Associativo, com moderação de Inês Aydin.

Inscrições até às 17 horas do dia 28 de julho, através do formulário:

https://forms.gle/amm7awBvXbqFob6M7

A ligação para aceder à sessão será enviada após a inscrição.

Consulte o cartaz aqui.

 

 

 

 

 

Formato Online