Estudos e Publicações

Página de entrada (Boas-vindas)

Bem-vindo/a,

 

O Observatório das Comunidades Ciganas (ObCig) é uma unidade informal integrada no Alto Comissariado para as Migrações (ACM, I.P.).

Pretendemos contribuir para a concretização de algumas das medidas previstas na Estratégia Nacional para a Integração das Comunidades Ciganas, para o reconhecimento social das pessoas, famílias e/ou comunidades ciganas e, consequentemente, para a desconstrução de mitos, representações e estereótipos desqualificantes.

Colaboraremos com centros de investigação, disponibilizaremos estudos e promoveremos debates, encontros e outras iniciativas.

 

Contamos consigo e com a sua colaboração.

 

Obrigado por nos visitar!


Apresentação dos Elementos do Conselho Científico

Conselheiros/as Científicos/as

Nome: Professora Doutora Alexandra Castro

Link para instituição/universidade/centro de investigação: http://dinamiacet.iscte-iul.pt/?pessoa=alexandra-castro

Tese de Doutoramento disponível no Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal: http://hdl.handle.net/10071/7017

Tese de doutoramento:

Referência bibliográfica: Castro, Alexandra (2012). Na Luta pelos Bons Lugares: visibilidade social e controvérsias espaciais. Tese de Doutoramento em Antropologia Urbana, ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa, Portugal.

 

Nome: Professora Doutora Emília Martins

Link para instituição/universidade/centro de investigação: 

http://www.esev.ipv.pt/Gabinetes/Default.aspx?value=DPCE&valor=Psi&valor2=CEducacao&valor3=Psi&valor4=CEducacao

 

Nome: Professora Doutora Maria José Casa-Nova

Link para instituição/universidade/centro de investigação: 

http://www.ie.uminho.pt/Default.aspx?tabid=6&pageid=70&lang=pt-PT

Tese de doutoramento:

Referência bibliográfica: Casa-Nova, Maria José (2008). Família, Etnicidad, Trabajo y Educación. Estudio etnográfico sobre los modos de vida de una comunidade gitana del Norte de Portugal. Tese de Doutoramento em Antropologia Social, Universidade de Granada, Espanha.

 

Nome: Professora Maria do Rosário Carneiro

Link para instituição/universidade/centro de investigação:

http://www.fch.lisboa.ucp.pt/site/custom/template/ucptpl_popup.asp?sspageid=885&artigoID=4391&lang=1

Link para a Assembleia da República: http://www.parlamento.pt/DeputadoGP/Paginas/Biografia.aspx?BID=1023

Relatório da Comissão Parlamentar:

Referência bibliográfica: Comissão Parlamentar de Ética, Sociedade e Cultura, Subcomissão para a Igualdade de Oportunidades e Família (2009). Relatório das audições efectuadas sobre Portugueses Ciganos no âmbito do Ano Europeu para o Diálogo Intercultural. Lisboa: Assembleia da República.

 

Nome: Professor Doutor Rogério Roque Amaro

Link para instituição/universidade/centro de investigação: https://ciencia.iscte-iul.pt/public/person/rrao

 

Nome: Dr. Sérgio Aires 

Link para instituição/universidade/centro de investigação: http://www.eapn.eu/index.php?option=com_content&view=article&id=125:eapn-contact-list&catid=1/&Itemid=22&lang=en#exco

http://www.eapn.pt/

 

Nome: Engenheiro Piménio Teles dos Reis Ferreira

Link para CV

 

Nome: Professora Doutora Sílvia Gomes

Link para instituição/universidade/centro de investigação: http://www.cics.nova.fcsh.unl.pt/cics-nova/researchers/integrated-research/silvia-gomes

Tese de doutoramento:

Referência bibliográfica: 
Gomes, Sílvia (2013). Criminalidade, etnicidade e desigualdades: análise comparativa entre os grupos nacionais dos PALOP e Leste Europeu e o grupo étnico cigano. Tese de Doutoramento em Sociologia, Universidade do Minho, Portugal.

 

Nome: Mestre Liliana Moreira, Investigadora do Observatório das Comunidades Ciganas


Boas-vindas

Bem-vindo/a,

O Observatório das Comunidades Ciganas (ObCig) é uma unidade informal integrada no Alto Comissariado para as Migrações (ACM, I.P.).
 
Pretendemos contribuir para a concretização de algumas das medidas previstas na Estratégia Nacional para a Integração das Comunidades Ciganas, para o reconhecimento social das pessoas, famílias e/ou comunidades ciganas e, consequentemente, para a desconstrução de mitos, representações e estereótipos desqualificantes.
 
Colaboraremos com centros de investigação, disponibilizaremos estudos e promoveremos debates, encontros e outras iniciativas.
 
Contamos consigo e com a sua colaboração.
 

Obrigado por nos visitar!


Diálogos em Itinerância – Portugueses Ciganos

24 Mai 2016

Que contrastes e continuidades genéticas encontramos nos ciganos em relação à restante população portuguesa? Como compreender a construção das suas diferenças? Em que enquadramentos históricos se foram elas inscrevendo? Que narrativas nos têm sido oferecidas, que novas narrativas serão possíveis?. Estas e outras questões seráo abordadas neste encontro, agendado para dia 24 de maio, às 15h30, no Teatro Rivoli - Auditório Isabel Alves Costa.

Em destaque vai estar uma reflexão multidisciplinar sobre o Outro e as diferenças, com a participação do escritor Richard Zimler, da bióloga Maria João Prata, da socióloga Lígia Ferro e do historiador Manuel Loff. A moderação vai estar a cargo da Professora Fátima Vieira.

A marcar presença na ocasião vai estar o Vereador da Habitação e Ação Social da Câmara Municipal do Porto, Manuel Pizarro.

A entrada é livre, mas sujeita a inscrição prévia (até ao dia 20 de maio), através do formulário

 

 

Destaque para o facto do cartaz de divulgação do encontro ter sido elaborado por Matthew Palaczky, estudante de ERASMUS da FLUP U.Porto

 

Teatro Rivoli - Auditório Isabel Alves Costa
Imagem em Destaque

Seminário “Comunidades Ciganas: Incluir para Crescer”

27 Abr 2016
O auditório do Régia Douro Park – Parque de Ciência e Tecnologia de Vila Real vai acolher, no próximo dia 27 de abril, o Seminário “Comunidades Ciganas: Incluir para Crescer”, em presença do Alto-comissário para as Migrações, Pedro Calado, e do Coordenador do Observatório das Comunidades Ciganas (ObCig), Carlos Jorge.
Organizado pelo Município de Vila Real, Núcleo Distrital de Vila Real da EAPN Portugal (Rede Europeia Anti-Pobreza) e Projeto MaisSocial E6G, com o apoio do ObCig, a iniciativa tem o objetivo de debater a atual situação das comunidades ciganas, no contexto nacional e europeu, bem como os principais desafios da intervenção social ao nível distrital e nacional, e ainda conhecer os contributos da investigação social.
Para além da participação de um conjunto de oradores, reunidos em torno deste tema, a ocasião será marcada por uma sessão de pintura de tela ao vivo, pela artista plástica Isabel de Sousa Pinto, com leitura artística do seminário.
 
Inscreva-se aqui

Governo vai atribuir 25 bolsas de estudo a jovens ciganos(as)

Imagem em Destaque
Governo vai atribuir 25 bolsas de estudo a jovens ciganos(as)
No Dia Internacional dos Ciganos, o Governo anunciou o lançamento um Programa de Atribuição de Bolsas de Estudo para Jovens Universitários(as) das Comunidades Ciganas. A iniciativa prevê a atribuição de 25 bolsas, para o ano letivo 2016/2017, financiadas pelo Alto Comissariado para as Migrações. Além destas, o Executivo vai criar um novo programa de mediação intercultural, nomeadamente através da colocação de mediadores nas Comissões de Proteção de Crianças e Jovens em Risco (CPCJ).
Em comunicado, o Executivo explica que o programa nasce tendo por inspiração o bom resultado do projeto “Opré Chavalé” (Erguei-vos, jovens ciganos, na língua romani). Uma iniciativa promovida pela Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres, em parceria com a Associação Letras Nómadas, e cofinanciado pelo Programa Cidadania Ativa EEAGrants, gerido pela Fundação Gulbenkian, com o objetivo geral de integrar jovens ciganos(as) no ensino superior. O projeto contou também com o apoio do Programa Escolhas (PE) e da Fundação Montepio.
Na sequência deste projeto, no passado dia 13 de fevereiro, o Alto Comissariado para as Migrações (ACM), na qualidade de entidade gestora do PE, assinou um protocolo de cooperação com Associação Letras Nómadas, que prevê a atribuição de oito bolsas de estudo a jovens das comunidades ciganas que, estando a frequentar o ensino superior, se encontram em risco de abandono.
Agora, o Governo, através da Secretaria de Estado para a Cidadania e a Igualdade, pretende alargar esta experiência a 25 outros jovens.
Além da atribuição de bolsas, o programa do Governo inclui também o acompanhamento dos alunos ciganos para prevenir o abandono escolar precoce. Para tal, o Executivo vai criar um novo projeto de mediadores socioculturais, nomedamente através dos mediadores das CPCJ que estão em territórios onde há comunidades ciganas, com a missão de contribuir para inverter a tendência do abandono, fazendo a ponte entre as famílias e as escolas.

EAPN Portugal promove campanha contra a discriminação dos ciganos

Imagem em Destaque
EAPN Portugal promove campanha contra a discriminação dos ciganos
Neste que é o Dia Internacional dos Ciganos, 8 de abril, a EAPN Portugal - Rede Europeia Anti-Pobreza promove a Campanha Nacional de Combate à Discriminação das Comunidades Ciganas: “Discriminação é Falta de Educação”. São sete imagens, com sete mensagens de sete cidadãos de etnia cigana, que procuram desmontar estereótipos.
A Campanha dá a conhecer os muitos singulares do plural “ciganos”, procurando sensibilizar os cidadãos para o combate à discriminização. O objetivo é desmistificar um plural supostamente representativo de uma entidade coletiva imaginária, e quase sempre negativa, que procura classificar um todo ignorando as partes. E, maioritariamente, responsável pela manutenção de preconceitos negativos que alimentam a discriminação social e as suas consequências.
Um combate centrado no questionamento de estereótipos para conhecer antes de discriminar negativamente e, assim, desconstruir mitos num esforço coletivo de co-responsabilidade, para a indispensável convivência de todas as diferenças.
Veja o vídeo da campanha, conheça os cartazes e saiba mais sobre a EAPN Portugal.

1.ª Edição do FAPE em balanço

Imagem em Destaque
1.ª Edição do FAPE em balanço
O Observatório das Comunidades Ciganas (ObCig) promoveu, no dia 17 de março, no auditótrio do CNAI de Lisboa, do ACM, uma sessão de balanço coletivo da 1.ª edição do Fundo de Apoio à Estratégia Nacional para a Integração das Comunidades Ciganas (FAPE - ENICC).
O encontro contou com a presença de representantes dos projetos FAPE dinamizados em 2015, da equipa do ObCig e seus/suas conselheiros/as científicos/as, e da equipa do Gabinete de Apoio às Comunidades Ciganas (GACI), possibilitando a apresentação e o conhecimento dos 11 projetos implementados na 1.ª edição do FAPE, bem como o diálogo e relexão em torno das ações desenvolvidas, procedimentos adotados, resultados alcançados e recomendações futuras.
Os projetos (e as organizações) envolvidas na 1.ª edição do FAPE são: Latchim Sastipen - De Boa Saúde (Letras Nómadas – Associação de Investigação e Dinamização das Comunidades Ciganas), (In)Formar para a Igualdade e para a Cidadania (Maiêutica – Cooperativa de Ensino Superior CRL), Concretizar Co(n)vivências (Associação Concretizar), Integra-te (Plataforma de Animadores Socioeducativos e Culturais), CIGA (Terras Dentro – Associação para o Desenvolvimento Integrado), Comunicação Comunitária para relação com os Media (ADC Moura – Associação para o Desenvolvimento do Concelho de Moura), Cultura Cigana em Movimento (Centro de Apoio Social dos Pais e Amigos da Escola n.º10 - CASPAE 10), Sim! (Lifeshaker – Associação), Entre Linhas (Associação para o Desenvolvimento das Mulheres Ciganas Portuguesas), CONTA MAIS (Centro Social, Cultural e Recreativo Abel Varzim) e SIM! Sensibilizar, Incluir, Mobilizar (Beira Serra – Associação de Desenvolvimento).

Braga - Apresentação do livro “Sina Social Cigana. História, Comunidades, Representações e Instituições”

Imagem em Destaque
Braga - Apresentação do livro “Sina Social Cigana. História, Comunidades, Representações e Instituições”
O Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais, Polo UMinho, as Edições Colibri e a Livraria 100ª Página vão apresentar, no próximo dia 10 de março, o livro “Sina Social Cigana. História, Comunidades, Representações e Instituições”, da autoria de Manuel Carlos Silva e colaboradores/as. A sessão irá decorrer nas instalações da Livraria 100ª Página, em Braga,às 18h30.
O livro será apresentado por Rosa Cabecinhas, Professora Associada do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho e pelo Professor Carlos Jorge Sousa, Investigador do Centro de Estudos das Migrações e das Relações Interculturais da Universidade Aberta e Coordenador do Observatório das Comunidades Ciganas.
Manuel Carlos Silva é doutorado pela Universidade de Amesterdão em Ciências Sociais, Culturais e Políticas. Professor Catedrático aposentado e Investigador Integrado no Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais, Polo UMinho, foi Diretor do Centro de Investigação em Ciências Sociais entre 2002 e 2014.
O autor foi já distinguido com o Prémio Sedas Nunes pela obra 'Resistir e Adaptar-se' (1998, Afrontamento) sobre o campesinato, e tem publicado sobre o rural-urbano, desenvolvimento e desigualdades sociais (de classe, étnicas e género). (Co)organizador de Congressos nacionais e internacionais, Manuel Carlos Silva foi também Presidente da Associação Portuguesa de Sociologia entre 2010 e 2012.

ACM lança a 2.ª edição do Fundo de Apoio à ENICC – FAPE 2016

Imagem em Destaque
ACM lança a 2.ª edição do Fundo de Apoio à ENICC – FAPE 2016

O Alto Comissariado para as Migrações I.P. (ACM I.P.) lançou, no dia 1 de fevereiro de 2016, a 2.ª edição FAPE - Fundo de Apoio à Estratégia Nacional para a Integração das Comunidades Ciganas (ENICC) para o ano de 2016, com a publicação do seu Regulamento e, respetivos anexos.

Naquele que foi o seu ano experimental, o balanço do FAPE 2015 é francamente positivo e encorajador. A aposta na mobilização das organizações da sociedade civil e comunidades ciganas nas várias fases dos projetos, bem como a oportunidade que os projetos constituíram de captação de recursos e parceiros adicionais, revelou-se um fator determinante de sucesso dos projetos FAPE.

Conscientes da importância de continuar a apostar na mobilização e envolvimento ativo da sociedade civil, bem como das comunidades ciganas, na implementação local e nacional da Estratégia Nacional, o presente Regulamento define o regime de acesso a apoios financeiros concedidos pelo Alto Comissariado para as Migrações I.P (ACM I.P.), no âmbito do Fundo de Apoio à ENICC (FAPE), para o ano de 2016, através do qual serão apoiados projetos de duração não superior a 9 (nove) meses e que concorram diretamente para a execução das metas definidas nas prioridades estabelecidas pela Estratégia Nacional para a Integração das Comunidades Ciganas (ENICC), Resolução do Conselho de Ministros n.º 25/2013, de 27 de março.

Os projetos no âmbito do FAPE visam a promoção do combate à discriminação e sensibilização da opinião pública, a formação sobre cidadania e participação comunitária ativa das comunidades ciganas e a história e cultura ciganas, devendo enquadrar-se nas seguintes tipologias de intervenção e ter a duração máxima de 9 (nove) meses, devendo o seu período de execução compreender o período decorrido entre 1 de abril de 2016 e 31 de dezembro de 2016, não sendo possível transitar para o ano civil seguinte:

a) Ações de formação/sensibilização com vista ao combate da discriminação das comunidades ciganas e à promoção do diálogo intercultural entre estas e a sociedade maioritária;

b) Ações centradas na promoção da igualdade de género e/ou conciliação da vida profissional, pessoal e familiar;

c) Ações de formação para formadores ciganos na área da história e cultura ciganas, associativismo e participação comunitária;

d) Ações/iniciativas de promoção de atividades económicas e empreendedoras.

Para além disso, devem abranger as comunidades ciganas e ser implementados em território nacional e serem apresentados em parceria, constituída pelas seguintes entidades:

a) Uma entidade gestora;

b) Uma ou mais entidades parceiras financeiras ou não financeiras;

c) Um grupo representativo das comunidades ciganas locais (formal ou informal).

Refira-se ainda que a dotação financeira disponível do programa, para o corrente ano, duplicou em relação à de 2015, passando a 100.000,00€ (cem mil euros). O ACM I.P. financiará, por projeto, o máximo de 5.000,00€ (cinco mil euros), a uma taxa de cofinanciamento de, no máximo, 95% do custo total elegível para cada projeto.

O período de apresentação de candidaturas ao FAPE 2016 inicia-se hoje, 1 de fevereiro, e decorre até ao dia 29 de fevereiro, em formulário digital próprio.

As entidades interessadas poderão, durante o período de apresentação das candidaturas, em caso de dúvidas e/ou esclarecimentos adicionais, colocá-las através do e-mail candidaturasfape@acm.gov.pt.

Mais se informa, que estão previstas duas Sessões de Esclarecimento, em Lisboa e no Porto.

  • 4 de fevereiro: Lisboa, das 14h00 às 16h00, no Auditório do Centro Nacional de Apoio ao Imigrante (CNAI), sito na Rua Álvaro Coutinho, n.º 14, 1150-025 Lisboa.

  • 5 de fevereiro: Porto, das 14h00 às 16h00, na Fundação da Juventude, sito na Rua das Flores, n.º 69 R/C, 4250-265 Porto.

Para os interessados(as) em participar, devem fazer a sua Inscrição, através do e-mail candidaturasfape@acm.gov.pt, até ao dia 03 de fevereiro.

 

Documentos:

Regulamento Fundo de Apoio à ENICC – FAPE 2016

Anexo I – Estrutura de Custos

Anexo II – Grelha de Análise

Sessão de esclarecimentos FAPE 2016


ACM apoia frequência universitária de jovens de etnia cigana

Imagem em Destaque
ACM apoia frequência universitária de jovens de etnia cigana
Na qualidade de entidade gestora do Programa Escolhas, o Alto Comissariado para as Migrações (ACM) assinou, no dia 13 de fevereiro, um protocolo de cooperação com Associação Letras Nómadas, que prevê a atribuição de oito Bolsas de Estudo Universitárias a jovens da comunidade cigana que, estando a frequentar o ensino superior, se encontram em risco de abandono deste ciclo de ensino devido a dificuldades financeiras.
Esta iniciativa surge na sequência de um pedido da Associação Letras Nómadas e do projeto Opré Chavalé, promovido por Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres e cofinanciado pelo Programa Cidadania Ativa EEAGrants, gerido pela Fundação Gulbenkian.
A sessão contou, entre outros, com a presença da Diretora do Programa Escolhas, Luísa Malhó, do representante do Programa de Desenvolvimento Humano da Fundação Calouste Gulbenkian, Hugo Seabra, da Presidente da Associação Letras Nómadas, Olga Mariano e ainda de oito jovens bolseiros que receberam o seu diploma e puderam deixar um testemunho pessoal sobre os seus percursos académicos.
Cátia, vinda de São Brás de Alportel, estudante do curso de Educação Social, referiu as várias dificuldades que teve para progredir nos estudos e sublinhou “a importância de, como mulher pertencente à etnia cigana, ter conseguido chegar até ao ensino superior” o que representa para si “um grande orgulho” e um passo que espera a leve a poder dar um “contributo ao país”.
José Fernandes, que está a estudar eletrónica na Escola Náutica Infante D. Henrique, agradeceu estar “a crescer como pessoa” e a ser ajudado a estudar o que, afirma, “é muito difícil para um cigano”.
Teresa, a frequentar o curso de Direito, confessou que não queria ir para a faculdade, mas foi ajudada a acreditar que seria capaz e diz que “está a correr bem e que afinal não é tão difícil como receava”.
Tânia, estudante de animação socioeducativa em Coimbra, confessa que “está a viver um sonho tornado realidade” e conta que “só quem é do meio cigano é que sabe os obstáculos” que teve de passar. Agradeceu as bolsas, reconhecendo que “este é um percurso que não é fácil”, mas afirmou também que “espera poder inspirar outros jovens, nomeadamente outras raparigas”, a seguirem os seus passos.
Em nome do Escolhas, Luísa Malhó reafirmou a disponibilidade do Programa para continuar a colaborar e apoiar este tipo de iniciativas, lembrando o início iminente da 6ª geração, na qual diversos projetos estarão no terreno a trabalhar com diversas comunidades ciganas.
Para Olga Mariano, este é um dia memorável para a Associação Letras Nómadas, que começa agora a ver os frutos de “um caminho que não tem sido fácil” mas que acredita que irá continuar a prazo, junto de cada vez mais jovens rapazes e raparigas.
Hugo Seabra, em representação do Programa de Desenvolvimento Humano da Gulbenkian afirmou que a Fundação quer continuar a apoiar o acesso dos jovens ciganos ao ensino superior e congratulou-se com a presença de tantas estudantes raparigas, uma novidade que considerou muito positiva.
 
------------------------------------------------------------------------------------------
"Um acontecimento Histórico com uma enorme carga simbólica ocorreu no passado sábado, dia 13 de fevereiro de 2016. 
A assinatura de um protocolo de cooperação entre o Alto-comissário para as Migrações, a Fundação Gulbenkian, a Associação Letras Nómadas e o projeto Opré Chavalé prevê a atribuição de Bolsas Universitárias a jovens ciganos/as. Este acontecimento histórico tem uma grandíssima carga simbólica. Pela primeira vez, no Portugal democrático, é atribuída uma Bolsa de Estudos Universitários a pessoas ciganas.
Associada a esta importante iniciativa fica, entre outros, a Fundação Gulbenkian – que noutros tempos já foi designada como sendo o “Ministério da Cultura” em Portugal -, que mais uma vez se agiganta ao apoiar mulheres ciganas e homens ciganos que ambicionam ter acesso e sucesso académico ao nível do ensino superior.
Um outro nome fica, indelevelmente, associado a este importante acontecimento, Pedro Calado, atual Alto-comissário para as Migrações. Ao cooperar nesta iniciativa, Pedro Calado, projeta não exclusivamente o seu nome para um acontecimento histórico de imensa relevância, mas igualmente o nome do Alto Comissariado para as Migrações e o do Governo de Portugal.
Desejo, sinceramente, que esta iniciativa seja como um pingo de tinta quando cai num mata-borrão: se espalhe.
Felicidades a todos/as os/as envolvidos/as"
O Coordenador do ObCig,

Carlos Jorge

 
 

Programa de Capacitação “Mais Líderes – Jovens Cigan@s” - ACM abre fase de candidaturas

Imagem em Destaque
Programa de Capacitação “Mais Líderes – Jovens Cigan@s” - ACM abre fase de candidaturas
O ACM já abriu a fase de candidaturas ao novo Programa de Capacitação “Mais Líderes – Jovens Cigan@s". Os(as) interessados(as) podem inscrever-se até  31 de março de 2016.
Promover uma participação ativa dos/as jovens ciganos/as no plano cívico e associativo é o objetivo central desta iniciativa.
 

Saiba mais aqui

Inscreva-se aqui


Outras Publicações (lista)

Outras Publicações (Intro)

Introdução (teses e relatórios II - Outras publicações)

Teses e Relatórios - Transversal (links)

Teses e Relatórios

“Na luta pelos bons lugares. Ciganos, visibilidade social e controvérsias espaciais" - tese selecionada para a Coleção Olhares

Imagem em Destaque
“Na luta pelos bons lugares. Ciganos, visibilidade social e controvérsias espaciais" - tese selecionada para a Coleção Olhares

Na sequência de convite formulado, a 25/11/2015,  para apresentação de teses de mestrado/doutoramento e/ou outros Estudos/Projetos na temática das comunidades ciganas, vem este Alto Comissariado anunciar que selecionou a tese de doutoramento com o título “Na luta pelos bons lugares. Ciganos, visibilidade social e controvérsias espaciais”, da autora Alexandra Castro, que será publicada na Coleção Olhares.

 

Edital - Coleção Olhares


Roma Municipal Mediator Project Experimental Project Evaluation Results Summary Report

História e Cultura Ciganas